Três Startups mineiras avançam para a fase nacional do Accelerate

Três Startups mineiras avançam para a fase nacional do Accelerate

Três startups mineiras estão entre as 35 selecionadas para a fase nacional do Accelerate2030, programa que vai apoiar empresas que desenvolvem soluções que contribuem com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela ONU em 2015. A aceleração, que é conduzida pela também mineira Impact Hub, inicia este mês e tem seis meses de duração. Os três melhores projetos vão para a fase internacional, em Genebra, na Suíça.

Segundo o cofundador do Impact Hub e coordenador nacional do Accelerate2030, André Maciel, o projeto visa apoiar soluções que ajudam a resolver algum dos desafios evidenciados pelos 17 ODS, além de aumentar a capacidade dessas startups para que o negócio delas seja escalável para qualquer lugar do mundo.

“Também é objetivo do Accelerate2030 fomentar uma nova geração de empreendedores que estejam preocupados com o impacto que devem causar no mundo”, completa.

Maciel afirma que a organização do programa foi positivamente surpreendida pelo volume e pela qualidade dos negócios inscritos. Foram quase 400 candidatos de todo o Brasil.

“Por ser um programa que busca empresas mais maduras e com objetivo muito específico, que é atender os ODS, não esperávamos tantas inscrições. Tivemos, inclusive, que flexibilizar o limite do número de startups escolhidas: seriam 30, mas selecionamos 35”, diz.

Seleção – Entre as selecionadas, três são de Minas Gerais. Uma delas é a Geraes Tecnologia Assistiva, que desenvolve tecnologias digitais voltadas à acessibilidade. Essa startup contribui para o ODS 4, que é sobre educação de qualidade, e o ODS 10, que trata da redução das desigualdades.

Outra selecionada é a Laminatus Engenharia e Inovação, que produz painéis laminares com rejeitos de mineração. Ela se enquadra na temática de Economia Circular e Greentecnologies, que é abordada no ODS 9 sobre Indústria, Inovação e Infraestrutura. A terceira mineira escolhida é a VG Resíduos, que utiliza inteligência artificial e big data para solucionar problemas relacionados ao gerenciamento e comercialização de resíduos, contribuindo diretamente para o ODS15, que é sobre Vida Terrestre.

Segundo Maciel, além da contribuição clara com os ODS, também foram observados o estágio de maturidade da empresa, o potencial de escalabilidade e o perfil da equipe. De acordo com ele, as 35 selecionadas passarão, agora, por um processo de aceleração de seis meses. Nesse período, elas serão capacitadas a desenvolverem um planejamento estratégico para que seus negócios ganhem escala mundial.

“Vamos prepará-los em cinco temas: liderança e resiliência; mensuração de impacto; acesso a mercados; acesso a investimento e parcerias e colaboração”, diz. O programa nacional acontecerá nos espaços do Impact Hub presentes em Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Manaus e São Paulo.

Os três projetos de maior destaque serão classificados para a fase internacional, que acontece em outubro, em Genebra. O cofundador do Impact Hub explica que não há investimento financeiro envolvido no processo, mas destaca que os benefícios de participar do processo podem ser ainda mais valiosos do que dinheiro.

“As startups que chegarem à fase internacional serão apoiadas diretamente pela ONU. E é essa organização que será a responsável por abrir portas ao redor do mundo para que esses negócios ganhem escala”, frisa.

Fonte: http://diariodocomercio.com.br/sitenovo/tres-mineiras-avancam-para-a-fase-nacional-do-accelerate/

Posts Relacionados

Faça sua busca